PATOGENICIDADE DAS ESPÉCIES VIVAX E FALCIPARUM NO AGRAVAMENTO DA MALÁRIA

Autores

  • Paulo Schumann Neto
  • Lohraine Talia Domingues
  • Isabela Reis Manzoli
  • Mariana Kely Diniz Gomes De Lima
  • Diego Bezerra Soares

DOI:

https://doi.org/10.51161/rems/1444

Palavras-chave:

AGRAVAMENTO, MALÁRIA, PATOGENECIDADE

Resumo

Introdução: A malária é uma doença infecciosa de grande relevância na parasitologia, causada essencialmente no cenário brasileiro pelas espécies de protozoários Plasmodium vivax e falciparum. Essa patologia pode ser definida como uma síndrome febril potencialmente grave, em que o principal mecanismo de transmissão ao homem ocorre pelo repasto sanguíneo da fêmea do mosquito Anopheles infectado. Objetivos: Devido a elevada prevalência no número de casos de malária no Brasil, essa doença é considerada uma endemia principalmente na região norte, onde estima-se uma taxa de incidência de 100.000 novos casos por ano. Nesse contexto, são necessários mais estudos que esclareçam a padronização dessa patologia. Ademais, foi levantada a problemática: “Qual a relação entre o agravamento da malária e a patogenicidade das espécies vivax e falciparum?”. Materiais e Métodos:  A pesquisa consiste em uma revisão de literatura retrospectiva, objetivando-se esclarecer um panorama da associação entre um maior comprometimento da doença e a atuação de virulência das espécies. Resultados:  A partir desse estudo foi possível observar que a malária acentua sua sintomatologia e piora seu prognóstico devido ao tropismo infectante das espécies vivax e falciparum que ao atingirem o estágio de esquizontes possuem preferencialmente um mecanismo de adesão e hemólise dos reticulócitos, uma forma precursora dos eritrócitos maduros, favorecendo assim uma maior suscetibilidade nas apresentações complicadas da doença, como o surgimento de icterícia, esplenomegalia, insuficiência renal aguda além de icterohemorragia caracterizada pela destruição precoce de hemácias. Além disso, esse processo de hemólise pode formar pequenos coágulos evoluindo para tromboses e embolias em diversos órgãos do corpo. Conclusão:  Por meio desse estudo observou-se a existência de uma relação interdependente entre o agravamento da malária e essa forma específica de atuação patogênica das espécies vivax e falciparum capazes de desencadear complicações relevantes para o quadro clínico do paciente.

Publicado

2021-07-28

Como Citar

Neto, P. S., Domingues, L. T., Manzoli, I. R., Lima, M. K. D. G. D., & Soares, D. B. . (2021). PATOGENICIDADE DAS ESPÉCIES VIVAX E FALCIPARUM NO AGRAVAMENTO DA MALÁRIA. Revista Multidisciplinar Em Saúde, 2(3), 42. https://doi.org/10.51161/rems/1444

Edição

Seção

II Congresso Brasileiro de Saúde On-line

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)