DESAFIOS E ESTRATÉGIAS PARA O ENFRENTAMENTO DA DOENÇA DE CHAGAS NO CONTEXTO DA SAÚDE COLETIVA

Autores

  • Isabela Reis Manzoli
  • Diego Bezerra Soares
  • Gabriele Pereira Dos Reis
  • Mariana Barbosa Lopes
  • Fabiola Julianne Alves De Pinho

DOI:

https://doi.org/10.51161/rems/2248

Palavras-chave:

DOENÇA DE CHAGAS, ESTRATÉGIAS, PROTOZOÁRIO, SAÚDE COLETIVA

Resumo

Introdução: A Doença de Chagas (DC) é uma infecção parasitária, causada pelo protozoário Trypanossoma cruzi, transmitida pelo repasto sanguíneo da fêmea hematófaga dos triatomíneos. Essa patologia possui aspectos epidemiológicos preponderantes em indivíduos em situação de vulnerabilidade social, sendo recorrente no continente americano e com maior prevalência em pessoas de 30 a 60 anos. Nesse contexto, uma vez infectados, estes indivíduos manifestam enfartamento ganglionar, hepatoesplenomegalia, astenia, miocardite aguda e cardiopatia chagásica crônica. Objetivos: Devido à elevada prevalência da Doença de Chagas como uma patologia endêmica no Brasil, faz-se necessário novas abordagens efetivas no que tange ao tratamento com fármacos eficientes e acessíveis. Metodologia: O estudo consiste em uma revisão de literatura com o intuito de elucidar a importância do desenvolvimento de políticas públicas de saúde para enfrentar os desafios no tratamento dos pacientes chagásicos por meio de novas estratégias terapêuticas. Para tanto, utilizou-se as bases de dados SciELO, PubMed e Medline. Resultados: A partir dos estudos, foi possível observar que existe uma dificuldade não só no acesso por parte da população ao tratamento com drogas mais sensíveis à eliminação do parasita, como também no fornecimento de drogas com menos efeitos colaterais, visto que estes são responsáveis por uma taxa entre 15% e 20% de descontinuidade terapêutica. Além disso, por ser negligenciada, a DC torna-se uma doença “invisível”, já que, não há investimentos adequados em medidas de combate e prevenção por parte das autoridades. Conclusão: Em síntese, torna-se evidente a necessidade de mais investimentos no campo técnico-científico para a elaboração de estudos que esclareçam os mecanismos de ação da infecção parasitária e de novas abordagens terapêuticas, com o objetivo de desenvolver fármacos mais específicos e eficazes. Ademais, é imprescindível traçar novas estratégias de educação em saúde com o intuito de capacitar os profissionais da área e de instruir a população em relação aos riscos consoante ao processo saúde-doença, consequentemente, proporcionar melhoria na qualidade de vida.

Publicado

2021-10-08

Como Citar

Manzoli, I. R. ., Soares, D. B. ., Reis, G. P. D. ., Lopes, M. B. ., & Pinho, F. J. A. D. . (2021). DESAFIOS E ESTRATÉGIAS PARA O ENFRENTAMENTO DA DOENÇA DE CHAGAS NO CONTEXTO DA SAÚDE COLETIVA. Revista Multidisciplinar Em Saúde, 2(4), 104. https://doi.org/10.51161/rems/2248

Edição

Seção

I Congresso Brasileiro de Doenças Infectocontagiosas On-line

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)