MÉTODO CANGURU COM ESTRATÉGIA DE HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL

Autores

  • Mirela Araujo Nabarro
  • Andreara De Almeida E Silva

DOI:

https://doi.org/10.51161/rems/2491

Palavras-chave:

CUIDADO DE ENFERMAGEM, HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA, MÉTODO CANGURU, UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL

Resumo

Introdução: A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) oferece uma vivência ao recém-nascido contrária ao ambiente intrauterino, que oferece uma temperatura agradável e constante, trazendo aconchego até mesmo de forma sonora. Já na UTIN é oferecido um universo à assistência aos recém-nascidos, focado na sobrevivência desses bebês, com diversos estímulos estressantes. Diante desse cenário, é importante implementar estratégias do humanização da assistência, como o Método Canguru. Objetivos: Levantar a humanização da assistência de enfermagem ao recém-nascido na unidade de terapia intensiva neonatal; Descrever o Método Canguru como estratégia de humanização da assistência de enfermagem para minimizar os efeitos nocivos da hospitalização do recém-nascido em unidade de terapia intensiva neonatal. Material e métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada nas bases de dados: LILACS, SciELO, PubMed/MEDLINE, com os descritores: Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, Cuidado de Enfermagem, Humanização da Assistência, Método Canguru. Foram selecionados artigos em português e inglês, publicados entre os anos de 2010 e 2021. Foram excluídas as duplicidades, dissertações e teses, sendo utilizado um número total de 10 artigos. Resultados: Os estudos mostram que o Método Canguru é uma alternativa para reduzir o tempo de internação assim minimizando os efeitos nocivos da internação na UTIN tendo como benefício alívio da dor, a regularização da frequência cardíaca e a duração maior do aleitamento materno tendo em vista os neonatos de baixo peso. Neste método os pais são treinados a como pegar o bebê e como posicioná-lo, o bebê é colocado na posição vertical em contato pele a pele apenas com a fralda, no peito dos pais, deixando-o em flexão e em linha média, esse posicionamento pode ser obtido com o uso de rolinhos. Alguns procedimentos dolorosos podem ser realizados durante o Método Canguru, minimizando o estresse dos neonatos. Os estudos também mostram os desafios da equipe de enfermagem é dar início ou manter a continuidade do Método Canguru nas UTIN. Conclusão: Conclui-se que o enfermeiro tem um papel fundamental na humanização da assistência aos neonatos, enfatizando o Método Canguru como principal estratégia de humanização da assistência, a fim de minimizar os efeitos nocivos da hospitalização na UTIN.

Publicado

2021-11-25

Como Citar

Nabarro, M. A. ., & Silva, A. D. A. E. . (2021). MÉTODO CANGURU COM ESTRATÉGIA DE HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL. Revista Multidisciplinar Em Saúde, 2(4), 60. https://doi.org/10.51161/rems/2491

Edição

Seção

II Congresso Nacional Multidisciplinar em Enfermagem On-line

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>