INCÊNDIOS FLORESTAIS: EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PROL DA PREVENÇÃO

Autores

  • Felipe Patrício das Neves
  • Nilton César Fiedler
  • Alexandre Rosa Dos Santos
  • Elaine Cristina Gomes Da Silva
  • Weslen Pintor Canzian

DOI:

https://doi.org/10.51189/rema/1696

Palavras-chave:

PRESERVAÇÃO, PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS, SUSTENTABILIDADE

Resumo

Introdução: Nos últimos anos, o aumento de incêndios florestais tem trazido grande preocupação em várias regiões pelo mundo, devido às consequências ao meio ambiente, financeiras e à saúde. São necessárias estratégias diversas para disseminar a prevenção e preservação ambiental, e contar com o prestígio de instituições como o Corpo de Bombeiros pode tornar essa tarefa mais eficaz, especialmente em locais mais impactados. Objetivos: Investigar o perfil histórico de atendimentos a incêndios e identificar bairros situados em áreas sensíveis, para promoção de ações educativas ambientais nas escolas por bombeiros militares. Material e métodos: A área de estudo corresponde aos municípios de Linhares, Rio Bananal e Sooretama, no estado do Espírito Santo, Sudeste do Brasil, com área de 4.725 km², jurisdição da 1ª Companhia do 2° Batalhão de Bombeiros, local de importantes remanescentes florestais como a Reserva Biológica de Sooretama e a Floresta de Goytacazes. Foram utilizados registros de atendimentos a ocorrências entre os anos 2015 e 2019. Analisando os dados, foi possível identificar os bairros mais vulneráveis, para promoção de ações educacionais ambientais. Por meio do software QGIS, foram elaborados mapas temáticos e de calor hot spot, para análise geográfica de ações. Resultados: Em Linhares, a Zona Rural (22%) e bairros Canivete (8,4%) e Bebedouro (6,8%), foram destaque em concentração de incêndios. Já em Rio Bananal, destacaram-se a Zona Rural (53,8%), Córrego São Bento (5,7%) e São Jorge do Tiradentes (5,7%), mais afetados; por fim, em Sooretama, a Zona Rural (38,2%), REBIO Sooretama (14%) e Juncado (10,7%), também tiveram maior número de casos. Tais áreas são anualmente castigadas por incêndios, e a participação de bombeiros nas escolas, utilizando-se de seu poder de inserção e aceitação na sociedade, infere-se que o aprendizado será potencializado. Pretende-se ofertar ações educativas ambientais diversas, de forma a conscientizar o público-alvo. Trata-se de uma das inúmeras estratégias de um conjunto de ações mais amplo, envolvendo diversas agências, em busca de um mesmo propósito, garantir a proteção da riqueza ambiental nacional. Conclusão: Deste modo, ações educacionais preventivas serão fortes aliadas para a promoção da cultura de preservação ambiental, principalmente numa excelente etapa da vida educacional dos indivíduos.

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Neves, F. P. das, Fiedler, N. C. ., Santos, A. R. D. ., Silva, E. C. G. D. ., & Canzian, W. P. (2021). INCÊNDIOS FLORESTAIS: EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PROL DA PREVENÇÃO. Revista Multidisciplinar De Educação E Meio Ambiente, 2(3), 17. https://doi.org/10.51189/rema/1696

Edição

Seção

I Congresso Nacional On-line de Conservação e Educação Ambiental

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)