O ENFERMEIRO E OS CUIDADOS RELACIONADOS AO CATETER CENTRAL DE INSERÇÃO PERIFÉRICA

PICC EM NEONATOS

Autores

  • Winny Ribeiro Sena
  • Andreara De Almeida E Silva

DOI:

https://doi.org/10.51161/rems/2503

Palavras-chave:

ENFERMEIROS, CATETERISMO PERIFÉRICO, RECÉM-NASCIDO, CUIDADOS DE ENFERMAGEM.

Resumo

Introdução: O enfermeiro tem um papel fundamental nos cuidados com o cateter central de inserção periférica (PICC) nas unidades de terapia intensiva neonatal (UTIN), sendo responsável privativamente pela realização do procedimento de inserção do cateter, manutenção e manipulação do mesmo. Para isso, é necessária a qualificação, capacitação e educação continuada para tal procedimento. Objetivos: Identificar os cuidados do enfermeiro com o PICC nas unidades de terapia intensiva neonatal; Levantar os fatores que influenciam na retirada precoce do PICC e as estratégias de prevenção de infecção hospitalar do PICC. Material e métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada por meio de artigos científicos nacionais e internacionais, usado a base de dados PubMed e a biblioteca eletrônica SciELO. Os descritores utilizados na busca dos artigos foram: Enfermeiros, Cateterismo Periférico, Recém-Nascido, Cuidados de Enfermagem. O corte temporal foi de 2011 a 2021, selecionando-se artigos originais em inglês e português, disponíveis na íntegra on-line. A amostra foi constituída de 5 artigos. Resultados: A falta de atenção no manuseio do cateter e a correria relacionada à rotina na assistência prestada ao recém-nascido nas UTIN são grandes fatores que influenciam na perda e retirada precoce do PICC, assim como o desenvolvimento de infecções pela manipulação sem realizar assepsia correta do dispositivo. Deste modo, as ações do enfermeiro no cuidado do PICC neonatal precisam ser direcionadas à correção desses fatores, como: uso de técnica estéril na instalação do cateter e nos curativos, atentando-se para o tipo de curativo usado, sendo ocluído com gaze com validade de 48 horas e com a película transparente a cada 7 dias, antissepsia antes da manipulação do PICC, higienização das mãos, inspeção no local do dispositivo com alerta de sinais de flebite. Conclusão: O enfermeiro tem grande importância nos cuidados ao cateter central de inserção periférica neonatal desde a realização da técnica asséptica correta até a avaliação dos cuidados prestados ao neonato com PICC, sendo ele um educador contínuo para sua equipe multidisciplinar, garantindo que os cuidados assistenciais sejam prestados corretamente e com segurança para que não haja infeções relacionadas ao dispositivo invasivo e ao manejo incorreto do mesmo.

Publicado

2021-11-25

Como Citar

Sena, W. R. . ., & Silva, A. D. A. E. . (2021). O ENFERMEIRO E OS CUIDADOS RELACIONADOS AO CATETER CENTRAL DE INSERÇÃO PERIFÉRICA: PICC EM NEONATOS. Revista Multidisciplinar Em Saúde, 2(4), 71. https://doi.org/10.51161/rems/2503

Edição

Seção

II Congresso Nacional Multidisciplinar em Enfermagem On-line

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>